Guia de paradas nas estradas de São Paulo


Rodamos 3 000 quilômetros e listamos 45 pit stops que valem a pena em oito vias paulistasMirante do Saco da Ribeira: desvio agradável na rota do litoral

Mirante do Saco da Ribeira: desvio agradável na rota do litoral (Foto: Mario Rodrigues)

Rodamos mais de 3 000 quilômetros por oito rodovias que saem da capital e selecionamos as melhores paradas, que vão além das redes que todo viajante conhece. Os percursos incluem restaurantes, lojas, mirantes,hotéis e pontos turísticos bacanas.

 RIO-SANTOS(até 200 km da capital)

Pastel do Trevo: massa de 30 centímetros
Pastel do Trevo: massa de 30 centímetros (Foto: Mario Rodrigues)

IDA

› Pastel do Trevo (km 224): prepare o apetite. Aberta em 1988, a pastelaria montada em um trailer serve o quitute em massa de 30 centímetros. O de palmito tem 350 gramas de recheio e custa 19,50 reais. ☎ (13) 3317-2263. 24 horas.

› As Ilhas (km 174): em alguns trechos da Rio-Santos, a praia aparece colada à rodovia. O restaurante As Ilhas é um clássico do pedaço. As receitas de peixes e frutos do mar são o.k. e os preços, um pouco salgados. Vale pela vista imbatível para a Praia Preta. ☎ (12) 3863-1131. 12h/20h (seg. a qui.); 12h/0h (sex. e sáb.); 12h/22h (dom.).

› Mirante (km 63): oferece uma visão deslumbrante para a Praia do Saco da Ribeira, em Ubatuba. O cenário conta com embarcações ancoradas e uma parede de pinheiros.

Dalmo Bárbaro: filé de pescada
Dalmo Bárbaro: filé de pescada (Foto: Mario Rodrigues)

VOLTA

› Sorvetes Rochinha (km 101): picolés de abacate, jaca, groselha, jabuticaba e outras frutas refrescam a viagem na passagem por Maresias. Há também a opção de sorvetes de massa (59,80 reais o quilo). ☎ (12) 3865-6219. 11h/22h (seg. a sex.); 11h/1h (sáb. e dom.).

› Área das ostras (km 205): a estrada concentra dos dois lados vários restaurantes dedicados às ostras. Na Tenda das Ostras (9h/0h), a porção de uma dúzia do molusco, com sal e limão, vai de 20 a 35 reais, dependendo do tamanho.

› Dalmo Bárbaro (km 223): o restaurante capricha em pratos praianos. O filé de pescada-cambucu, ao molho de manteiga e alcaparras, sai por 159 reais (para duas pessoas). ☎ (13) 3268-1364. 10h/16h (seg. a qui.); 10h/22h (sex. e sáb.); 10h/20h (dom.).

■ BANDEIRANTES

Graal: fachada e ambiente inspirados nos anos 50
Graal: fachada e ambiente inspirados nos anos 50 (Foto: Mario Rodrigues)

IDA

› Lago azul (km 58): conhecida parada do interior, faz o estilo das grandes redes de estrada. Tem caixas eletrônicos, farmácia e capela. Os banheiros são ótimos. Conta com uma unidade similar no quilômetro 64, sentido capital. ☎ (19) 3129-0333.

› Parques de diversões e shoppings (km 72): essa altura da estrada se mostra uma movimentada área para o motorista. Os parques de diversões Wet’n Wild, de brinquedos aquáticos, e Hopi Hari demandam mais tempo de parada do viajante. O shopping suspenso SerrAzul, com acesso pelos dois lados da Bandeirantes, tem praça de alimentação e lojas como O Boticário. No quesito pechinchas, chama atenção no pedaço o Outlet Premium, que reúne lojas com itens em promoção de marcas como Daslu, Ellus, Farm e Nike. Para recarregaras energias, experimente as costelinhas do Applebee’s.

 

Outlet Premium: no quilômetro 72 da Bandeirantes
Outlet Premium: no quilômetro 72 da Bandeirantes (Foto: Mario Rodrigues)

VOLTA

› Graal (km 56): de fachada diferentona da de outras filiais da rede,tem todo o ambiente inspirado nos anos 50. Dois carros antigos ficam expostos na frente da loja – pena que não seja permitido entrar neles. Dentro do Graal, também são atrações artigos de beisebol, lambretas, uma pizzaria e uma hamburgueria. ☎ (11) 4531-8600. 24 horas.

› Rei da Pamonha (km 23): não deixe de experimentar o suco de milho (5,50 reais, 300 ml), cremoso e bem gelado. Leve para casa também uma pamonha doce ou salgada (5,20 reais). ☎ 3941-5440. 6h/22h.

■ ANHANGUERA (até 200 km da capital)

Uvas colhidas na hora: plantação à beira da estrada
Uvas colhidas na hora: plantação à beira da estrada (Foto: Mario Rodrigues)

IDA

› Plantação de uvas (km 69): aventure-se por cerca de 300 metros em uma estradinha de terra para encontrar uma bela plantação de uvas-niágara. O dono colhe os cachos na hora. Dependendo da época, cobra de 10 a 35 reais pela caixa de 5 quilos da fruta. Se não houver ninguém à vista, buzine. 8h/17h30.

› Rio Grandense (km 120): o estabelecimento destoa das churrascarias típicas da estrada. Com ambiente bonito e limpo, oferece 25 tipos de carne em esquema de rodízio (45 a 57,90 reais). ☎ (19) 3467-1322. 11h20/15h (seg.); 11h20/15h e 17h/22h30 (ter. asex.); 11h/16h e 17h/22h30 (sáb.); 11h/16h (dom.).

› Rancho Mineiro (km 137): é ideal para quem gosta dos quitutes mineiros. O bufê para se servir à vontade (39,90 reais, de seg. a sex.; 42,90 reais, sáb. e dom.) sempre impressiona pela variedade. Tem feijão-tropeiro, pernil, leitão à pururuca… A loja anexa vende artesanato e panelas e bules esmaltados. ☎ (19) 3444-1528. 7h/21h.

› Apiário Bom Jesus (km 140): nesta simpática casinha amarela de madeira, encontra-se mel em pote (12 reais, 700 gramas) e embebido no próprio favo (7 reais). 7h30/18h (seg. a sáb.); 7h30/12h (dom.).

› Rancho Empyreo (km183): a refeição típica deste restaurante suíço, há 49 anos na ativa, é composta de salsicha, batata cozida, joelho de porco, bisteca e repolho (71,50 reais). O saboroso filé au poivre sai por 96,20 reais. Apesar dos altos preços, os pratos são individuais. ☎ (19) 3572-2133. 8h/21h (seg. a qui.); 8h/22h (sex. e sáb.); 8h30/16h (dom.).

VOLTA

› Outlet da MMartan (km 77,5): nesta ponta de estoqueda etiqueta de cama, mesa e banho, os produtos aparecemcom 10% de desconto em relação aos de outras lojas. Itensdescontinuados e com pequenos defeitos chegam a apresentar50% de desconto. ☎ (19) 2102-2253. 9h/18h30.

› Sucos de Fruta Burch (km 71,5): o cardápio contém 35 tipos de suco, que custam de 7 a 11 reais (jarra de 700 ml). Muitos deles são de fruta natural e feitos na hora, a exemplo de amora, tangerina, carambola e goiaba. ☎ (19) 3878-1737. 7h/20h.

PRESIDENTE DUTRA

Pato com laranja: prato do restaurante francês O Paturi
Pato com laranja: prato do restaurante francês O Paturi (Foto: Mario Rodrigues)

IDA

› Vinhos Dani (km 130,5): além dos vinhos e sucos de uva, aposta em produtos típicos do Rio Grande do Sul, como tapetes de pele de carneiro, cuias e roupas de couro. Em tempo: não aceita cartões. ☎ (12) 3652-3104.6h30/21h (seg. a sex.); 6h30/18h (sáb.); 6h30/12h (dom.).

› O Paturi (km 59,8): entre ofertas de coxinhas e espetos de frango, aparece na Dutra um restaurante francês em funcionamento desde 1955 de cuja cozinha saem pratos como pato com laranja e filé-mignon ao molho de ervas (65 reais cada um). Há um hotel anexo. ☎ (12) 3132-1975. 11h/16h e 18h/21h (ter. a sex.); 11h/23h (sáb.); 11h/17h (dom.).

› Chocolate do Penedo (km 310,5):é possível conferir a produção da guloseima através de um vidro. O produto queridinho da loja é a barra ao leite (12 reais, 150 gramas). ☎ (24) 3360-0916. 9h30/17h45.

› Casa do Mamão (km 237): aberta em 1962, tem decoração graciosa, com chão e móveis de madeira e placas retrô na parede. Invista no lanche de pão com linguiça (5,75 reais) e, como sobremesa, em uma fatia da torta trufa de chocolate com macadâmia (6,25 reais). O banheiro desaponta. ☎ (24) 2431-1112. 24 horas.

VOLTA

› Casa da Picanha (km 209): a carne que dá nome ao restaurante é a estrela do cardápio. A versão de 400 gramas, ladeada por batata frita, farofa, arroz e feijão, custa 67 reais, para duas pessoas. ☎ (21) 2682-7632. 11h/17h (seg. a qui., sáb. e dom.); 11h/22h (sex.).

› Academia Militar das Agulhas Negras (km 306): vale o passeio pelas belas dependências da Aman, onde há alojamentos, estádio, centro hípico, instalações de tiro… Nem tudo é aberto. O turista pode apreciar o amplo gramado externo onde cadetes circulam durante todo o dia e fazer uma visita guiada gratuita a um museu com artigos militares. ☎ (24) 3388-4500. 8h/17h.

› 500 Hotel e Golfe (km 60): o estabelecimento criado nos anos 50 foi renovado recentemente e guarda boas surpresas para o viajante. Tem quartos assinados por Oscar Niemeyer, jardins projetados por Burle Marx e painel de Di Cavalcanti no salão de café da manhã. Mesmo sem se hospedar (a diária custa a partir de 290 reais), é possível usufruir o campo de golfe do hotel (7h/18h; a partirde 120 reais). ☎ (12) 3128-3555.

› Wimpy Bikão — a Casa do Bacalhau (km 61): trata-se de uma boa opção de comida portuguesa, presente na Dutra desde 1970. Entre os pratos principais, aparece o bacalhau preparado na chapa com molho acebolado e azeitonas pretas, servido com arroz e batata-portuguesa frita (175 reais, serve até três pessoas). ☎(12) 3132-1832. 12h/16h (seg. e dom.); 12h/22h (ter. a sáb.).

Basílica de Aparecida: capital do turismo religioso
Basílica de Aparecida: capital do turismo religioso (Foto: Mario Rodrigues)

› Basílica de Nossa Senhora Aparecida (km 71): um dos maiores templos católicos do mundo, a igreja já é vista da estrada. Desvie-se um pouco da rota (há muitas placas indicativas) para ver de perto sua imponente arquitetura, além de conferir as lojinhas temáticas e um aquário que diverte as crianças. ☎ (12) 3104-1000. 6h/21h.

› Fábrica da Nestlé (km 128): no melhor estilo Willy Wonka, aos sábados, das 8h às 11h, grupos de até dez pessoas podem conferir a fabricação de chocolates como Alpino, Prestígio e Charge no Tour Nestlé Chocolover. O ingresso custa 10 reais. É necessário agendar o passeio em www.nestle-tourchocolover.com.br. ☎ (11) 2145-0845.

RÉGIS BITTENCOURT (até 200 km da capital)

IDA

› Rancho do Vinho (km 293,5): costelas douradas que ficam suspensas sobre a brasa dão água na boca dos clientes. O rodízio, que inclui a carne assada por seis horas e outros pratos, custa 42,90 (seg. a sex.) e 54,90 reais (sáb. e dom.). Visite também a adega especializada em vinhos brasileiros, comandada pela sommelière Gabriele Frizon. Na parte de trás do estabelecimento, existe um minizoológico com três pôneis, pavão, coelhos e galinhas. ☎ 4147-1557. 11h/16h (seg. a qui. e dom.); 11h/23h (sex. e sáb.).

Gabriele: sommelière do Rancho do Vinho, na Régis Bittencourt
Gabriele: sommelière do Rancho do Vinho, na Régis Bittencourt (Foto: Mario Rodrigues)

VOLTA

› Brasil Vivo (km 420): o viveiro conta com centenas de espécies de plantas ornamentais, mudas frutíferas e árvores. ☎ (13) 3044-8244. 7h/17h (seg. a sáb.).

› Barraca de banana (km 405): aqui o que vale não é o ambiente, mas as frutas que vêm direto do produtor. Cachos de banana-prata e nanica, que reúnem até sessenta unidades, custam de 3 a 12 reais. 7h/17h30.

› Artesanato de bambu (km 402): uma barraquinha simples à beira da estrada concentra peças de bambu queimado feitas pelo artesão Amauri da Silva. Há vasos de parede para colocar flores e cadeiras. É possível encomendar móveis sob medida. ☎ (13) 99116-6036. 8h/20h.

FERNÃO DIAS (até 200 km da capital)

Peixes do Carpalago: eles deixam até fazer carinho
Peixes do Carpalago: eles deixam até fazer carinho (Foto: Mario Rodrigues)

IDA

› Shopping Portão Natureza (km 49,5): aqui se encontra um pouco de tudo: pet shop, loja de artesanato, lanchonete de empadinhas… Vale destacar dois negócios ligados aos animais. Um deles, o Aves do Mundo (☎ 11 4416-3658), vende e expõe mais de 200 espécies de ave, muitas delas raras, que vão de faisões a galinhas gigantes. Já o Carpalago (☎ 11 4416-3716), de produtos para lago e aquário, possui um atraente lago com carpas japonesas que parecem pets. Esses peixes aceitam até um cafuné na cabeça.

› Outlet da Centauro (km 948): suba cerca de 1 quilômetro em uma estradinha para encontrar a loja esportiva cujos produtos aparecem aqui com descontos de até 30%. ☎ (35) 3435-9644. 8h30/20h (seg. a sáb.); 10h/18h (dom.).

VOLTA

› Varejão do Queijo (km 864,5): especializado em delícias mineiras. O quilo do queijo frescal sai por 13 reais. Doces em vidro recheiam uma parede inteira. 8h/18h.

Varejão do Queijo: delícias mineiras
Varejão do Queijo: delícias mineiras (Foto: Mario Rodrigues)

› Cachaça Paraíso (km 927): vende boas pingas (para levar, pois em estrada não se pode beber). São envelhecidas em carvalho, pereira ou jacarandá. As prateleiras reúnem também licores de sabores como amarula e banana. 9h/19h.

› Ultramarino (km 41,5): point dos fãs de bacalhau, a partir das 10h tem pratos do nobre pescado que servem tranquilamente três pessoas. Se quiser só petiscar, experimente os bolinhos (6 reais a unidade). Dica: evite o banheiro. ☎ (11) 4412-7612. 6h/22h.

› O Relicário (km 47,5): seu Matuz, o dono do espaço, produz cenários para televisão e cinema. Ali, vende móveis “rústicos modernos” feitos de peroba de demolição e algumas antiguidades. ☎ (11) 4412-4024. 8h30/17h30 (seg. a sex.); 8h30/17h (sáb.); 9h30/12h (dom.).

Tapetes arraiolos: feitos a mão por 1 600 artesãos locais
Tapetes arraiolos: feitos a mão por 1 600 artesãos locais (Foto: Mario Rodrigues)

› Tapetes arraiolos (km 51): a região do bairro Portão de Atibaia concentra diversas paradas interessantes. A principal delas é a dos Artesãos do Portão Associados, especializada em tapetes arraiolos, feitos a mão por 1 600 artesãos locais com lã de carneiro. Podem custar de 50 a 13 000 reais. Todos têm estampas únicas e alguns demoram até três anos para ficar prontos. ☎ (11) 4416-9324. 8h/18h.

■ IMIGRANTES

› Frango Assado (km 15 e 60): no caminho para o litoral, fica difícil evitar as grandes redes de estrada. Na ida, no quilômetro 15 (24 horas), e na volta, no quilômetro 60 (6h/22h40), o Frango Assado acolhe os visitantes. Os clássicos pão de semolina e espetinhos de frango figuram nas vitrines.

■ CASTELLO BRANCO (até 200 km da capital)

Gregorio Carvalho, gerente do Rancho 53: pratos fartos de bacalhau
Gregorio Carvalho, gerente do Rancho 53: pratos fartos de bacalhau (Foto: Mario Rodrigues)

IDA

› Casa Campo (km 29,5): ao lado de um grande posto Graal, a loja vende móveis rústicos de madeira de demolição, imagens de santos e réplicas de objetos antigos, como relógios e rádios. ☎ 4619-2794. 8h/18h30 (seg. a sáb.); 9h/14h (dom.).

› Rancho 53 (km 53): o simpático ambiente desta casa portuguesa é decorado com azulejos brancos e azuis e louças típicas. O bacalhau à narciso leva alho, cebola, cheiro-verde, pimentão e batatas ao murro (175 reais, para duas a três pessoas). Como entrada, aposte na alheira de sabor delicado (22,90 reais). Nos fins de semana, costuma haver espera. ☎ 4136-1381. 6h/23h (seg. a sáb.); 6h/20h (dom.).

› Filés à parmigiana (km 193 e km 198): dois pontos próximos um do outro na Castelo ganharam fama com o prato. No Bar do Alemão — km 193, ☎ (14) 3886-1287; 11h/22h (seg. a qui. e sáb. e dom.) e 11h/0h (sex.) —, a carne com arroz e batatas do tipo chips crocantes e sequinhas custa 86 reais para duas a três pessoas. No Camponesa — km 198, ☎ (14) 3886-1161; 11h/22h (seg. a qui.; sáb. e dom.) e 11h/23h (sex.) —, a mesma refeição sai por 92 reais.

Casa e Campo: móveis rústicos e imagens religiosas
Casa e Campo: móveis rústicos e imagens religiosas (Foto: Mario Rodrigues)

VOLTA

› Castelinho da Pamonha (km 154):todos os produtos têm o milho como base. Refresque-se com o sorvete (5,50 reais, 180 gramas), bem suave e cremoso. Há outras duas unidades ao longo da rodovia, uma no km 40 (sentido capital) e outra no km 101 (sentido interior). ☎ (15) 3253-6259. 7h/21h (seg. a sáb.); 7h/23h (dom.).

› Fazenda Boa Vista (km 102,5): é um luxo. O hotel da grife Fasano ostenta paisagens portentosas, com quinze lagos, bosques e jardins, além de campos de golfe, polo e equitação. Diárias a partir de 1 050 reais. ☎ (15) 3261-9900.

› A Quinta do Marquês (km 57): além de pratos e doces portugueses (o pastel de belém é imperdível), o restaurante serve o leitão à bairrada (150 reais, para duas a três pessoas), com batatas fritas laminadas. ☎ 4717-9800. 5h/0h. ■

Fonte: Veja SP

Previous Mercado imobiliário vê impulso em 2014
Next Veja 10 dicas para comprar a casa própria em 2014

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *