8 mitos da decoração


Nem todas as fórmulas de décor devem ser seguidas. Desconstruímos algumas delas para sua casa ficar mais bonita e atual

1. Vale tudo

Esta frase costuma ser repetida à exaustão. É verdade que, para ser autêntica, uma casa precisa refletir o gosto e as paixões de quem mora nela. Porém objetos de valor sentimental, mobiliário novo e itens antigos só funcionam se estiverem em plena sintonia. “É fundamental respeitar algumas regras, como usar móveis proporcionais ao ambientes, criar passagens para a circulação de pessoas e evitar cantos em que tudo fique amontoado”, afirma o arquiteto Gilberto Cioni, de São Paulo

2. Quanto mais lâmpadas, melhor

Não mesmo! Quando bem posicionados, poucos focos de luz são capazes de valorizar o ambiente de maneira surpreendente. Ficam ótimos, por exemplo, quando colocados sobre quadros na parede e enfeites de mesa. “Escolha pontos estratégicos e opte por abajures de alturas diferentes ou spots no teto”, sugere o designer de interiores David Bastos, de São Paulo. A luz natural traz elegância ao cômodo

3. Piso de madeira na cozinha, Jamais!

Cozinha e banheiro pedem piso de material frio, certo? Nem sempre. Se bem manejada, a madeira pode ter passe livre em ambos os cômodos. Na churrasqueira externa ao lado, idealizada por Gilberto Cioni e seu sócio, Olegário Sá, o chão recebeu tratamento especial para garantir maior durabilidade

4. Contratar arquiteto é caro

Sabe aquela história de o barato sair caro? Quem dispensa a ajuda de um expert pode ter prejuízo após comprar um móvel grande demais para a sala ou pintar a parede de uma cor esquisita. Além disso, cada vez mais, há no mercado profissionais cujo orçamento é adequado a vários bolsos.

5. Plantas não vingam em apartamentos

Ainda acredita que o verde em ambientes fechados não rola? Provavelmente você tem investido em tipos de planta inadequados para apartamentos. Priorize espécies como pau-d’água, minijabuticabeiras e cactos, que crescem pouco e não necessitam de muita irrigação. Outra maneira de garantir a sobrevivência das flores é posicioná-las em local arejado, de preferência com pé-direito alto e bastante entrada de luz natural.

6. Invista em um só estilo

Olhe bem para esta sala de jantar. A mesa de madeira bruta tem aspecto rústico, enquanto o sofá é vintage, e as cadeiras, contemporâneas. E não é que o mix de referências deu supercerto? Prova de que um lar não precisa seguir um único tipo de décor. “Arrisque a misturar itens de várias épocas”, afirma Cione. “Mas busque sempre um ponto de equilíbrio nas cores.”

7. Parede escura diminui o ambiente

Nem sempre. Uma cor intensa pode, sim, ser usada sem passar a impressão de que o espaço está menor. Para isso, comece pela escolha da parede: a da janela é sempre a melhor opção, já que deixa o tom sóbrio contra a luz e o impede de roubar a luminosidade do cômodo. Um espelho grande, como o do lavabo à esquerda, cumpre a mesma função. Outro truque é apostar no contraste com móveis claros ou de tons neutros, o que ajuda a ampliar o local.

8. Cores demais poluem

Que nada! Uma paleta variada deixa qualquer cantinho mais alegre, original e acolhedor. Basta saber combinar tons e estampas de modo certeiro, como você faz com suas roupas diariamente. “Em meus projetos, costumo me inspirar nas cores que são tendências de moda”, conta David Bastos. Ele apostou no vermelho-vivo como base para a decoração da cozinha ao lado, que tem ainda nuances de marrom, azul, amarelo e verde. Os pratos supercoloridos colocados sobre a parede de madeira completam a equação. “Monocromático ou exuberante, o mais importante é que o resultado final valorize o espaço tridimensional e dê prazer a quem está olhando o ambiente ou vivendo nele”, afirma o arquiteto.

Fonte: M de Mulher

 

Previous Curiosidade: mais que um simples castelo de cartas
Next Conheça o bairro da Penha

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *